Prefeitura de Londrina realiza mutirão contra a dengue nos jardins Belém e Itapoá

Neste sábado (14), a partir das 8h, a Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), vai realizar o segundo mutirão contra a dengue nos jardins Belém e Itapoá, na região norte. O ponto de encontro da operação será em frente ao Centro de Convivência da Pessoa Idosa da Região Norte (CCI Norte), que fica na Rua Luiz Brugin, 570 (esquina com Av. Saul Elkind).

Foto: Vivian Honorato / NCom

No sábado, cerca de 50 agentes municipais de endemias vão passar de casa em casa orientando os moradores da região sobre os riscos de deixar objetos que podem acumular água parada e sobre a importância limpar a casa e os quintais para evitar a proliferação de focos do Aedes aegypti.

Eles também entregarão sacos plásticos para o descarte correto do lixo e, em seguida, os funcionários da CMTU vão passar recolhendo os materiais com os caminhões nos jardins Belém e Itapoá.

A região norte foi escolhida por ser o local que mais chama a atenção em relação ao número de casos e focos de dengue. Isso porque, de acordo com o 2° Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2022, a região registrou um índice de infestação do mosquito de 10,25%. “Os mutirões têm, além do efeito prático de eliminação dos focos e criadouros, um efeito educativo importante, porque a gente recolhe toneladas de lixo das casas das pessoas, que, às vezes, nem elas entendem porque acumulam esse tipo de objeto”, disse o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado.

Foto: Emerson Dias / NCom

Segundo o secretario de saúde, a pasta utiliza diversas estratégias para conscientizar a população, pois 97% dos focos de dengue e criadouros estão dentro das casas e quintais, como em vasos de plantas; potes de água de cachorros; ralos de banheiro, cozinha e lavanderia e objetos jogados no quintal. “Ações simples e básicas podem fazer com que a gente evite uma epidemia de dengue na nossa cidade. As pessoas têm que tirar da cabeça que a dengue está nos terrenos baldios, no mato alto ou nos fundos de vale, porque isso corresponde a apenas a 3% dos focos. Se os criadouros estivessem só nesses terrenos, teríamos uma infestação baixíssima, só de 3%. Precisamos entender que 97% dos focos estão dentro das casas, na sala, nos quartos e nos banheiros das pessoas. Nós temos a total condição de mudar isso, mas precisamos da colaboração de todos”, ressaltou Machado.

Foto: Emerson Dias / NCom

Para facilitar o trabalho de limpeza, o carro de som já está avisando a população dos jardins Belém e Itapoá sobre o que poderá ser descartado. No caso, qualquer objeto que venha acumular água e servir como criadouro para o Aedes deve ser colocado em frente as casas para que os caminhões da CMTU passem recolhendo. “A partir de sábado estaremos nos jardins Itapoá e Belém, passando de rua em rua,  de casa em casa, para que todos possam se desfazer daquilo que não mais precisam. A CMTU estará lá com seus caminhões, fazendo a limpeza e a gente precisa que todos colaborem, para que a gente vença esse momento difícil”, disse o diretor-presidente da CMTU, Marcelo Cortez.

A dica dos agentes municipais de endemias é que a população reserve 15 minutos durante a semana para vistoriar os locais que podem ter água em casa ou no apartamento. A orientação é que os criadouros sejam removidos e descartados em sacos plásticos para a coleta seletiva ou para o recolhimento pelo caminhão de lixo; e que a população não espere que alguém venha resolver o problema, mas, sim, faça a sua parte: limpando a própria casa e seu quintal.

Disque dengue – As pessoas que verificarem locais com água parada, como em piscinas abandonadas, terrenos, casas e edifícios com descarte irregular de materiais que acumulam água parada, devem denunciar no Disque Dengue, pelo 0800-400-1893.

admin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *