Bolsonarista vira réu por homicídio duplamente qualificado contra petista de Foz do Iguaçu

A Justiça em Foz do Iguaçu acolheu a denúncia oferecida pelo Ministério Público contra o agente penitenciário federal Jorge Guaranho. Com a decisão, tomada na tarde desta quarta-feira (20), Guaranho se tornou réu por homicídio duplamente qualificado cometido contra o tesoureiro do PT Marcelo Arruda.

LEIA TAMBÉM:

William Bonner e Renata Vasconcelos se afastam do Jornal Nacional

Pico de Matinhos sente efeitos da engorda da praia; moradores andam na frente das pedras

Na decisão, o juiz Gustavo Germano Francisco Arguello, da 3ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu, aponta que “apesar de a jurisprudência majoritária dos tribunais superiores entender que a decisão de recebimento da denúncia não exige fundamentação, cumpre observar, de modo sucinto, que o caderno investigatório possui a presença de indícios suficientes de autoria e prova de materialidade do crime tipificado no art. 121, § 2º, inciso II e III, in fine, do Código Penal, bem como que restam preenchidos os requisitos do artigo 41 do Código de Processo Penal, razão pela qual RECEBO A DENÚNCIA oferecida em desfavor de JORGE JOSÉ DA ROCHA GUARANHO”.

O magistrado estabeleceu um prazo de 10 dias para que Guaranho ofereça, por escrito, respostas às acusações. O agente penitenciário, baleado por Arruda e agredido por convidados da festa do tesoureiro do PT, esteve por dias internado em estado grave na UTI de um hospital de Foz do Iguaçu. O quadro de saúde dele apresentou melhoras, e Guaranho agora está internado na enfermaria do Hospital Ministro Costa Cavalcanti.

Receba nossa Newsletter E-mail * Primeiro Nome * Ao se inscrever, você concorda com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade, incluindo o uso de cookies, a transferência de suas informações pessoais para a Tribuna do Paraná e o recebimento de ofertas de produtos e serviços da Tribuna do Paraná. * Assinar

admin